ANGRA FEST: Tom Brasil – São Paulo/SP – 26/11/2017

Após mais de 20 anos dedicados ao Metal, um dos maiores expoentes do Metal Nacional, o Angra, realizou um sonho antigo da banda, realizar o primeiro Angra Fest.

O dia escolhido para o evento histórico foi 26/11/2017, no Grupo Tom Brasil, na Zona Sul de São Paulo, a para tornar a noite ainda mais grandiosa, foram convidadas as bandas Noturnall e Massacration. Além de vários convidados especiais como: Marcelo Pompeu (Korzus), Dani Nolden (Shadowside), Luis Mariutti (Ex-Angra, Shaman), Ricardo Confessori (Ex-Angra, Shaman. Atual Confessori Band), e Geoff Tate (Ex-Queensryche).

A primeira banda da noite foi o Noturnall, que passou recentemente por uma repaginada em seu Line-up, na bateria, não está mais o “Polvo” Aquiles Priester, e sim, Henrique Pucci (Ex-Project46).

O público ainda estava bem pequeno na casa no momento do show, porém, a banda não se incomodou com isso e fez um show com toda a sua energia, entraram no palco sem muitas delongas mandando a paulada “No Turn At All” seguida de “Fight The System”. A banda fez uma pausa para falar com o público e agradecer a oportunidade de poder estar tocando no festival, enquanto isso, os roadies iam arrumando um “pole dance” no meio do palco, que faria parte da execução da próxima música, “Zombies”, que contou com duas “modelos zumbis” se apresentando no pole dance instalado no meio do palco

Após o término de “Zombies”, o tecladista Junior Carelli se dirigiu ao microfone para se comunicar com o público, porém, para sua surpresa, o microfone estava desligado, então ele gritou sem o microfone mesmo: “Gente, por favor, uma salva de palmas para nossas ‘Zombies’”, nisso já havia dado tempo para os roadies retirarem o pole dance do meio do palco, e a banda já engatou a música “Mysterious”, do seu mais recente trabalho intitulado “9”. A próxima música do set deixou todos os presentes felizes e cantantes, “I Want Out”, do Helloween, foi executada e todos os fãs cantaram juntos em um coral uníssono. “Sugar Pill” e “Noturnall Human Side” vieram na sequência para fechar o set list e encerrar a primeira apresentação da noite. A banda mais uma vez agradece ao Angra e a todos envolvidos na produção do show pela oportunidade, e deixa o palco sendo aplaudida pelo público.

Antes mesmo da saída dos músicos do Noturnall do palco, já era possível ver uma correria para deixar o palco pronto para a próxima atração da noite. A maior banda de Heavy Metal que o mundo já presenciou, o Massacration.

Eis que as cortinas da casa se abrem novamente, e já se escutavam gritos de “Massacration! Massacration! Massacration!”.
Metal Avanger, Red Head Hammet, Head Master, El perro loco e El Muro subiram ao palco e começaram a execução de “Metal Is The Law”, eis que aparece a presença mais ilustre da banda, o “Filhinho do Deus Metal”, Detonator, levando todos a euforia e a cantarem juntos o refrão da música. A banda já engatou “The Mummy”, que teve a participação especial de Egípcio, e “Metal Massacre Attack”, e, eis que um imprevisto acontece, o gerador da casa cai, fazendo com que a banda tivesse interromper o seu show. Enquanto a situação era normalizada, Detonator permaneceu no palco conversando com os fãs, que começaram a gritar “Foi o Angra”. Alguns minutos depois, a situação foi normalizada e Detonator fala que isso foi um atentado contra a banda a mando do empresário do Angra, Paulo Baron, que coincidentemente também é empresário do Massacration.

A banda prosseguiu o show com “The Bull”, e após, com um de seus maiores clássicos, que foi cantado por todos os presentes na casa, a música fala sobre um Lôro que gosta de matar e de biscoitos… “Evil Papagali” foi um dos pontos altos do show. Mas o tempo da banda no palco estava, infelizmente, se esgotando. Para esgotar a incrível apresentação, a banda tocou “Metal Bucetation”, que levou os fãs ao êxtase máximo do show, fazendo todos cantarem, pularem e agitarem cada um de sua forma.
A banda deixou o palco sendo ovacionada ao som de palmas, gritos e assovios.

Durante a preparação do palco para o show do Angra, o gerador da casa caiu novamente, acarretando em atrasos na entrada do Angra no palco. Pouco mais de 40 minutos após a saída do Massacration do palco, as luzes se apagaram anunciando a atração mais esperada da noite… Angra!

A banda subiu ao palco ao som de “Newborn Me”, já seguida de “Acid Rain” e “Final Light”. Eis então que Lione vem a frente para se comunicar pela primeira vez com o público e informar que naquele momento, iriam cantar uma música do renomado álbum “Temple Of Shadows”, e então, anuncia a música “Waiting Silcence”, e já emendaram “Ego Painted Grey” do álbum “Aurora Consurgens” e “Time”, do “Fireworks”. Lione novamente se volta ao público para falar que agora eles iriam retornar para as músicas do último álbum da banda, “Secret Garden”, e anuncia “Upper Levels”. Após a execução de “Upper Levels”, toda a banda deixa o palco, exceto o baterista Bruno Valverde, que executou um exímio solo de bateria, deixando todos os presentes boquiabertos com tamanha técnica, precisão e feeling.

A banda retorna ao palco e executa “Silent Call” e “Angels and Demons”, e, novamente, a banda sai do palco. Instantes depois, somente Rafael Bittencourt e Felipe Andreoli retornam, fazendo uma live no Facebook através de um celular na mão do baixista Felipe Andreoli, então Rafael Bittencourt, único membro da formação original do Angra ainda presente na banda, vai a frente para se comunicar com o público, e informa que todos os presentes ali naquele momento, iriam ouvir uma música do vindouro álbum do Angra intitulado “OMNI”, e que o álbum será um divisor de águas na carreira do Angra. E fala também um pouco sobre a temática do álbum, que será um álbum futurista, e que e música que seria apresentada ao público, fala sobre uma inteligência artificial, que chegará a terra em 2022 e confrontará a inteligência humana propondo mudanças em nosso sistema cognitivo, e então, anuncia a música “Travellers of Time” que foi executada nos PA’s da casa, e transmitida Ao Vivo para todo mundo através da live na página oficial da banda.

Após o término de “Travellers of Time”, a banda retorna ao palco, com exceção do vocalista Fabio Lione, Rafael Bittencourt vai ao microfone e diz que a primeira convidada da noite iria cantar a próxima música, e então, chama ao palco a vocalista Dani Nolden, vocalista do Shadowside, que junto com o Angra, executou a música “Heroes of Sand” do álbum “Rebirth”.

Para as próximas músicas do set, Bruno Valverde e Felipe Andreoli deixaram o palco, para dar lugar a dois integrantes da formação clássica do Angra, Ricardo Confessori e Luis Mariutti, que se juntaram ao seu ex-companheiro da formação clássica do Angra, Rafael Bittencourt, para relembrar os tempos do álbum “Holy Land”, e juntos executaram “Silence and Distance” e “Nothing to Say”, trazendo um ar totalmente nostálgico ao ambiente. “Nothing to Say” também teve a participação especial do vocalista Alírio Netto.

Após a saída de Luis e Ricardo do palco, Rafael mais uma vez vai ao microfone, e fala que começou ouvir Metal e se interessar por guitarra ouvindo a banda Queensryche, e que era com muita honra que ele estava trazendo um convidado tão especial, e chamou ao palco o vocalista da formação original do Queensryche, Geoff Tate.

Geoff junto com o Angra executaram a música “Empire”, e logo depois o término da música, Fabio Lione entra no palco ovacionando Geoff Tate, e fala para o público que Geoff foi a maior inspiração dele quando começou a cantar, e que se não fosse o Geoff e o Queensryche, talvez ele não teria começado no mundo da música. E termina o discurso falando que Geoff Tate é o melhor vocalista da terra.
Geoff e Lione formaram um dueto para a próxima música, que foi “Make Believe”, executada com extrema maestria por Geoff Tate, e deixando todos impressionados.

Novamente Lione deixa o palco, e somente Geoff fica, e a apresentação prossegue com as músicas “Eyes of a Stranger” e “Silent Lucidy” do Queensryche. Geoff deixa o palco sendo ovacionado por todos os presentes na casa.

Lione retorna ao palco para a execução de “Rebirth”, e logo após, chamam o próximo convidado da noite, o guitarrista Edy Ardanuy, enquanto Edu se ajeitava, Felipe Andreoli avista o vocalista Bruno Sutter no meio do público e grita para ele “Bruno, quer cantar a próxima? É a sua chance!”. Bruno responde que sim e é levantado pelo público até conseguir ultrapassar a grade e subir no palco. Com Bruno nos vocais e Edu Ardanuy na guitarra, executaram a música “I’ll See The Light Tonight” do guitarrista Yngwie Malmsteen.

Logo após a saída de Edu Ardanuy, Rafael chama o próximo convidado para tocarem uma música mais pesada, mais brutal, Marcelo Pompeu, vocalista do Korzus, vem ao palco, e para a surpresa de todos, a banda junto com Pompeu tocaram a música “Walk”, do Pantera.

As duas próximas músicas, seriam as últimas da noite, e para isso, o Angra montou uma grande festa, chamaram ao palco Bruno Sutter, Alírio Netto e Tiago Bianchi, que junto com todo o Angra, cantaram “Carry On” e ”Nova Era”.
Com aproximadamente 2 h 40 min de duração, o show chegou ao fim. A banda agradeceu a presença de todos, e prometeu que voltarão ainda mais fortes em 2018 com o novo álbum “OMNI”.

Set-List Noturnall:

1 – No Turn At All
2 – Fight the System
3 – Zombies
4 – Mysterious
5 – I Want Out
6 – Sugar Pill
7 – Nocturnal Human Side

Set-List Massacration:

1 – Metal Is the Law
2 – The Mummy
3 – Metal Massacrea Attack
4 – The Bull
5 – Evil Papagali
6 – Metal Bucetation

Set-List Angra:

1 – Newborn Me
2 – Acid Rain
3 – Final Light
4 – Waiting Silence
5 – Ego Painted Grey
6 – Time
7 – Upper Levels
8 – Drum Solo
9 – Silent Call
10 – Angels and Demons
11 – Travelers of Time
12 – Heroes of Sand
13 – Silence and Distance
14 – Nothing to Say
15 – Empire
16 – Make Believe
17 – Eyes of a Stranger
18 – Silent Lucidity
19 – Rebirth
20 – I’ll See the Light Tonight
21 – Walk
22 – Carry On / Nova Era

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *